De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...
 

Na hora de almoço

…e serviu comida e água a seus pequenos animais: ressonam agora tranquilos. Já carpiu e regou os dois canteiros da horta, colheu o que havia a colher: couves, quiabos, alfaces, cenouras e tomates enfeitam a cozinha. Podou escrupulosamente o manacá, o pé de acerola e a pitangueira. Visitou as abelhas em sua faina: tão diligentes, sempre pressurosas, não há tempo a perder, não há tempo a perder, não há. Os beija-flores, rapidíssimos, também parecem dizer que não há tempo a perder…

Agora se dá conta de que são horas; apressa-se também, sai do fast-food, percorre a quadra esquivando-se de um rio de apressados como ele, chega ao prédio onde trabalha e entra no elevador quase lotado que o levará novamente ao sétimo andar asséptico, refrigerado, indistinto não fosse a placa acrílica com o numeral no corredor. Adentra a grande sala e, resignado, enfia-se em seu cubículo, entre duas dezenas de outros cubículos, onde ficará até quase ao por do sol, que não verá. Apenas um receio o acompanha: como ocultar dos colegas, pelo restante da tarde, esses grãos de pólen na gravata, a terra sob as unhas, algumas pequenas folhas nos ombros, essa obstinada réstia de luz no olhar? O que dirá a eles, se lhe perguntam por onde andou?

 

Henrique Chaudon
Setembro, 2017

na hora de almoço

Fotos de Minnie Freudenthal e Manuel Rosário

Partilhar
Escrito por

Nasceu em Niterói, RJ, em 05/03/1955. Publicou quatro livros de poemas: Confissões a Baco e Outros Poemas’ em 1977 ‘Vento’ , em 1982 ‘ A Terceira Gaveta e Poemas Anteriores ‘, 1994, compartilhando com Frederico Girauta o 1º lugar no Concurso Novos Talentos, promovido pela UFF/IBM; ‘Poemas’, em 2005, onde reúne uma seleção de poemas dos livros anteriores e inclui seis textos inéditos, por ocasião de seus 50 anos. Participou das seguintes Antologias: ‘Cem Poemas Brasileiros’, Vertente, S.Paulo, 1980; ‘Água Escondida’, CBAG, Niterói, 1994 e ‘Antologia Poética da Universidade Federal Fluminense, vol. 2’, Eduff, Niterói, 1996.

Últimos comentários
  • Muito feliz por ver meu texto compartilhado neste espaço privilegiado! Grato!

  • De uma simplicidade tocante e maravilhosa o seu texto!

    • Grato, maninha!

COMENTAR