De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...

Para mim, outono é sinal de calma e tranquilidade. Já esquecemos os calores excessivos do verão que nos excitam e nos deixam exaustos e ainda não chegaram as agruras do inverno cujo frio e sobretudo a chuva nos deixam tristes e melancólicos. O outono, pelo contrário, é doce e morno, sem excessos. Introduz-se devagarinho, pé ante pé no nosso quotidiano e quando damos por isso, já está instalado em todo o seu esplendor. A luz torna-se suave. A natureza transforma-se. Os tons matizados e as cores inesperadas das folhas que cobrem as árvores fazem-nos sentir numa paisagem impressionista. Mas estes dias perfeitos duram apenas o tempo entre duas ventanias, até que o nosso andar se sinta suspenso nas ruas atapetadas de amarelo e dourado.

É preciso estar atento e não perder este espectáculo cuja entrada é gratuita e a qualidade garantida. Basta abrir os olhos e olhar em volta.

Isabel Almasqué
Novembro, 2015

Fotos de Isabel Almasqué

Partilhar
Escrito por

Isabel Almasqué, Médica oftalmologista. Ex-Chefe de Serviço de Oftalmologia do Hospital dos Capuchos. Ex-Secretária-geral da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia. Co-autora de vários livros sobre azulejaria portuguesa.

Sem comentários

COMENTAR