De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...
HomeSociedade

Sociedade

Continuo na minha casa. Depois de tudo metido em caixotes, e negociada uma saída, os proprietários, em cima da hora de assinar o acordo, disseram que não tinham condições para a negociação. Fiquei, não sei até

Durante las primeras semanas de esta cuarentena, pasaba frente a mi casa y por todo el sector un vehículo equipado con unas cornetas gigantescas. Mis vecinos lo bautizaron como el Padremóvil. “Deben quedarse en casa, esta

A mulher olhou meigamente o pássaro que lhe sorria e debicava um pedacito de pão. Com espanto vê chegarem uns jovens saídos a correr de uma carrinha branca, como a que a transportara da última vez

Tive a sorte de viver os meus primeiros oito anos de vida num apartamento com quintal, no centro de Lisboa. Era uma casa comprida, mais funda que larga, com três janelas para a rua, a do

Fechada em casa, alarmada pela dimensão dos efeitos devastadores atuais e das implicações futuras da pandemia, sem eu dar por isso, a minha ligação com o mundo exterior mudou. Ao mesmo tempo que deixei de conviver

As I write this, over 16 thousand people have died in the US from contracting Covid 19. Yet, not to be outdone by reality, Trump forecasts a total of around 200 thousand deaths for the

UK doctors reveal multi-organ danger posed by Coronavirus. Risk of Kidney failure and to the Heart (Em doentes em cuidados intensivos) Quando um doente ligado a um ventilador desenvolve falência de multiorgãos, está geralmente num estadio terminal. Em

Eram os primeiros dias de recolhimento, 19 de Março, e escrevi a uma amiga: “Há muito que ando para lhe escrever, saber de si, manter vivo o elo invisível da amizade que nos liga. Este é o momento.

Como escrever no De Outra Maneira, nesta outra maneira em que vivemos? Que sentimentos nos assaltam neste pós fastfood,? De pacificação ou de temor? Que desafios se nos colocam? Que medos nos assaltam? Estará o mundo

Artigos, fotografias e videos, relacionados com o COVID-19, seleccionados pelo De Outra Maneira

Me gusta creerme la idea de que todo está conectado.  Que las cosas no ocurren simplemente porque ocurren. Que todo tiene un propósito y que siempre tras lo evidente hay información que no podemos percibir con

Neste dia de Equinócio que assinala o início da Primavera, muito bem-vinda, com uma grande parte do mundo em estado de emergência real ou iminente, decidi recolher-me na biblioteca da minha casa – sou sortuda –

A espécie humana viveu sempre rodeada de ameaças. Para além das catástrofes naturais e das guerras, diversas pandemias assolaram a Humanidade ao longo dos tempos, chegando a pôr em causa a sua sobrevivência. Uma das mais

Imagine que vai buscar a sua criança ao fim de um dia de trabalho. Sente nos ombros tensos o cansaço e uma lâmina de impaciência no pára-arranca do trânsito, no entanto, a antecipação do abraço e

Talvez influenciado pelas notícias sobre aquecimento global, desastres ecológicos, desaparição de espécies, tenho a tendência de sobrevalorizar o que testemunho aqui, no Arizona em 2020. Mas isto é o que tenho visto: Quando aqui cheguei há vinte

Já vos aconteceu, querer calar o Mundo? O grunhir do exaustor a agitar a consciência à superfície da sesta desejada, numa tarde quente, sem pressa. No aeroporto, seguir os sinais de silent room para afinal partilhar a calma

São sete da manhã. Gosto de ir à janela espreitar o primeiro eléctrico 28 a passar na Sé. Vai repleto de lisboetas que vão para o seu trabalho. Ou antes, gente cansada de tanto ser despejada para

Se eu não tivesse medo entroncava-me naquela árvore. Deixava as raízes acariciar os meus pés. Talvez assim me sentisse ligada a esta terra mal tratada, de onde tantas vezes me desprendo, mas aonde sei que pertenço.

E se eu tivesse nascido no mundo Blade Runner? Teria eu aquele corpo capaz de rasgar o espaço em flip flops? Ou numa tribo duma floresta longínqua onde a sabedoria do ambiente seria a minha sobrevivência? E de

Eram quase dez da noite e o táxi avançava rapidamente pelas ruas da cidade. Adelaide, sentada ao lado da mãe, no banco de trás, ia na esperança de que não fosse nada de grave. Apesar