De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...
 

Deir Mar Musa

Às vezes são aqueles pequenos parágrafos, num guia qualquer, que nos surpreendem. O mosteiro do Santo Moisés de Abissínia, Deir Mar Musa, nem uma página merecia no guia Routard sobre a Síria. O mosteiro é descrito não só como um dos lugares mais lindos da região mas também como um lugar onde o tempo parou.
Como não estava no nosso itinerário foi preciso alguma persuasão para ali pernoitarmos.
Naquele local, um outpost Romano servia de interface com os irrequietos beduínos do deserto. A primeira referência ao mosteiro, construído sobre a torre de vigia Romana, data do século VI. No interior da surpreendente igreja há trabalho de pedra dessa época e maravilhosos frescos posteriores quando da renovação do mosteiro entre os séculos XII e XIII.

deir mar musa
deir mar musa
deir mar musa
deir mar muse

Imagino o dia em que Paolo Dal’Oglio tropeçou nas ruínas deste mosteiro do século VI. Construído da terra e pedra das montanhas de onde se ergue, abandonado desde o século XIX, as suas ruínas deveriam confundir-se na paisagem da transição da montanha para o deserto. Paolo Dal’Oglio é, ou era, porque em 2013 foi raptado e julga-se que executado pelo Estado Islâmico do Iraque, um homem grande, falador e acolhedor. Padre Jesuíta fez daquele mosteiro um acto de Humanidade, uma tentativa de conectar o mundo Islâmico e o Cristão. Fundou ali um centro de estudos, com uma linda biblioteca, que atraía crentes, curiosos e activistas da causa. Depois de muitas dificuldades conseguiu que o Vaticano, por quem tinha sido outrora excomungado, reconhecesse a importância do seu esforço de diálogo entre religiões, e desse autorização para que o padre, aí, fundasse uma ordem religiosa.

O fim do dia no mosteiro chegou com a hora dum serviço religioso. A pequena capela atraiu todos os que pernoitariam ali, essa noite. Paolo Dal’Oglio rezou uma linda missa em Aramaico enquanto nós, embrulhados em cobertores para nos protegermos do frio que a noite do deserto traz, nos deixámos levar pelo tempo.
Nessa escura noite de Abril 2008 , depois da missa, o Padre do nada dinamizou um jantar, e numa tenda comeram cerca de 40 pessoas sentadas no chão: pão, mel, nozes, queijo, azeitonas. Paolo Dall’Oglio sentou-se ao nosso lado e conversou do mundo, de nutrição e de tantos outros temas que interessam este homem aberto e lutador.

deir mar musa
deir mar muse
deir mar muse
deir mar muse

Foi talvez o sono mais profundo que alguma vez dormi. Ao acordar de madrugada no ascético quarto onde o Bispo pernoitava nas suas visitas ao mosteiro de Deir Mar Musa, na Síria, senti em mim a largueza da planície desértica que se estende como um mar aos pés das montanhas.
Foi só uma noite mas soube a mil e uma noites!

Minnie Freudenthal
Outubro, 2012

Fotos de Minnie Freudenthal e Manuel Rosário

Partilhar
Escrito por

Alice Minnie Freudenthal, médica Internista pelo American Board of Internal Medicine e Ordem dos Médicos Portuguesa. Áreas de interesse; neurociência, nutrição, hábitos e treino da mente. Curso de Hipnose clínica pela London School of Clinical Hypnosis. Curso de Mindfulness Based Stress Reduction. Palestras e Workshops de diferentes temas na área da neurociência para instituições académicas, empresas e grupos.

Últimos Comentários
  • Avatar

    Que experiência maravilhosa. Imagino a noite , a luz das várias horas do dia, o ruído dos silêncios, as vozes….obrigada pela partilha.
    que continues essa forma única de viajar a vida. bem haja

COMENTAR