De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...

Mignon no Jardim do Limoeiro

Será sonho ou realidade

ver Mignon naquele Jardim

o limoeiro florindo

ela tecendo flores

coroando o seu Amado?

 

-Vem comigo, vem comigo

a terra é de maravilha, feita de luz

tão brilhante

que mesmo o que é escuro brilha…

 

O Amado foi com ela, ela já ia pronta

ia mostrar o palácio de que lhe tinha falado:

estátuas de belo mármore finamente trabalhado

tectos altos, céus pintados, e estranhos dragões ocultos

por outros anjos criados…

 

Eram seres de magia,

sussurravam ao ouvido

aqui vivereis para sempre,

na sombra do limoeiro

ou juntos ou separados.

 

Yvette Centeno

Blog Simbologia e Alquimia
Outubro, 2020

O Princípio da Paisagem, exposição de pintura de Pedro Chorão

GALERIA MONUMENTAL, até 31 de Outubro

ver mais textos da autora

(Evocando as Leituras Maravilhosas) Deméter tinha saudades, queria a filha que amava ao pé de si. No seu reino de sombra quem mandava era Hades bastava o nome para encher de terror os mais heróicos

Nesta obra se recordam alguns dos mais célebres sonhos de grandes pensadores e filósofos, vistos à lupa por Marie-Louise von Franz: de Themístocles a Descartes e Carl Gustav Jung, a autora vai delineando, com a sua habitual erudição e sensibilidade, os caminhos que conduzem à "fonte oculta do conhecimento de

Partilhar
Escrito por

Nasceu em Lisboa, é casada, tem quatro filhos. Cresceu numa casa onde havia livros. Leu sempre, leu muito, de todas as maneiras. Doutorou-se em Literatura Alemã, mas interessou-se sempre por História das Ideias, História de Arte e Literatura Comparada. É Professora Catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde criou os primeiros cursos de Tradução Literária. Tem obra de ficção, poesia, teatro e ensaio publicada em várias línguas. Quanto à música, as preferências andam pelo jazz, Mozart e Wagner… Foi recentemente distinguida com a Medalha de Honra do Autor Cooperante pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA).

Últimos comentários
  • Avatar

    Yvette, que poema tão bonito. Parece água a correr para o azul da pintura do Pedro Chorão. Simbiose perfeita. Adorei.

  • Avatar

    Harmonia.
    No caos que é a palavra encontrar a palavra.
    Gostei tanto.

COMENTAR