De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...

No escuro vazio daquela sala negra do museu, peritos em Arte e Arqueologia discutiam o futuro de Palmyra.
Reconstruir? Respeitar as cicatrizes? O que fazer?
Palmyra está suspensa no tempo. Passado e futuro esmagados pelo presente destrutivo.
Quantas épocas já conheceu Palmyra?
Sinto ainda no corpo uma Palmyra que conheci antes da guerra: a memória da luz, do espaço, da geometria da cidade no deserto. Mas também em mim existe a tristeza da destruição de que de algum modo me sinto também responsável.
A exposição de artefactos que vi no Metropolitan Museum of Art trouxe-me os rostos antigos, mas de traço moderno, daqueles que um dia a habitaram.
Palmyra sempre viveu na encruzilhada de grandes civilizações e de grandes conflitos que de algum modo determinaram o seu presente.
Em cada artefacto “arrebanhado” e exposto agora neste museu, talvez se esconda uma história pouco ética, mas que me proporcionou a sorte de ver uma faceta diferente de Palmyra.

Minnie Freudenthal
Agosto, 2019

 

ver mais

Exposição The World between Empires

Video Conversations on the Destruction of Cultural Heritage in Iraq and Syria

Galeria de Imagens

Fotos de Minnie Freudenthal e Manuel Rosário

Partilhar
Escrito por

Alice Minnie Freudenthal, médica Internista pelo American Board of Internal Medicine e Ordem dos Médicos Portuguesa. Áreas de interesse; neurociência, nutrição, hábitos e treino da mente. Curso de Hipnose clínica pela London School of Clinical Hypnosis. Curso de Mindfulness Based Stress Reduction. Palestras e Workshops de diferentes temas na área da neurociência para instituições académicas, empresas e grupos.

Sem comentários

Lamentamos, os comentários encontram-se fechados.