De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...
 

Williamsburg e Bushwick

A zona mais divertida de graffitis de Nova Iorque 

Em 1983 o senhorio não nos renovou o contrato do loft onde vivíamos.
Demasiadas visitas de amigos, as manchas que a Joana tinha feito com a bicicleta no corredor e muitos cozinhados foram as razões que ele nos deu.
Suspeito que a última gota foram os épicos lapin aiollli que a Eliane cozinhou…
O que é certo é que tivemos que abandonar a Prince Street no Soho, de que tanto gostávamos, para ir morar na East 27th.
Quando chegámos a Nova Iorque em 1981, uma das coisas que gostávamos era dos graffitis intensos que recobriam por completo o exterior e interior das carruagens de metro. Havia sempre algo de interessante para olhar durante as intermináveis viagens para o Bronx VA, onde fazia o meu estágio. Não era raro encontrar obras do Keith Haring um pouco por todo o lado.
Em 1983 a vida estava mais calma. Começámos a frequentar o CBGB e o Pyramid Club e a descobrir o Lower East Side. É dessa altura que fotografar street art se tornou um hábito para nós, praticado até hoje em todos os pontos do mundo.
Um dos locais que agora achamos mais interessantes em Nova Iorque é a zona de East Williamsburg/Bushwick.
Fácil de visitar, basta apanhar a a linha L e descer em Grand St, Montrose Av. ou Morgan Av. Não é uma zona perigosa como era dantes o Lower East Side e há locais interessantes para comer. Recomendamos fortemente o Momo Sushi Shack em 43 Bogart Street…
O frenesi de construção, que vimos na nossa última visita, diz-nos que muito do que fotografámos entre 2016-2019, provavelmente, vai desaparecer em pouco tempo…

Manuel Rosário
Setembro, 2019

Galeria de Imagens

Fotos de Minnie Freudenthal e Manuel Rosário

Partilhar
Escrito por

Médico Gastroenterologista, nasceu em Lisboa em 1951. Fez o curso de Medicina na Faculdade de Medicina de Lourenço Marques e Faculdade de Medicina de Lisboa. Fez a especialidade no Harlem Hospital em Nova Iorque. Vive em Lisboa desde 1986.

Sem comentários

COMENTAR